Saiba como cuidar do seu FIAT

ACESSÓRIOS GENUÍNOS
A instalação de rádios e alarmes não genuínos pode descarregar a bateria do veículo impedindo a partida do mesmo; (MOTIVO: pelo fato do acessório ser genuíno garantimos que está corretamente dimensionado para o sistema elétrico do carro não consumindo energia da bateria de forma excessiva, mesmo quando desligado).

 

TROCA DE ÓLEO
O óleo do carro degrada por tempo ou quilometragem, portanto, o mesmo deverá ser trocado a cada 15.000km, se utilizado em condições normais, ou a cada 12 meses, o que ocorrer primeiro.

 

TROCA DE ÓLEO - CONDIÇÕES SEVERAS
Substituir o óleo e o filtro de óleo a cada 7.500 km, se o veículo roda em condições severas como:
Estradas poeirentas, arenosas ou lamacentas;
Frequentemente em marcha lenta, condução em distâncias longas com baixa velocidade ou baixa rotação freqüente (por ex.: “anda e pára do tráfego urbano, táxis, entregas de porta em porta ou em caso de longa inatividade;
Trajetos curtos (até 8km) com o motor não aquecido completamente. (Esta é para quem trabalha ou estuda perto de casa e uso o carro neste trajeto pequeno, insuficiente para aquecer o motor ao nível ideal de trabalho)

 

BALANCEAMENTO E ALINHAMENTO

O alinhamento também deve ser efetuado sempre que os pneus forem substituídos.
Se for observada vibração no volante, leve o veículo para uma verificação do balanceamento das rodas. A falta de balanceamento das rodas, além de causar um incomodo ao dirigir, também causa um desgaste irregular do(s) pneu(s) e dos componentes da suspensão e direção.
Se eventualmente o veículo apresentar uma tendência de desviar a trajetória para um dos lados (puxar para esquerda ou direta), o alinhamento também deve ser verificado.
Leve o veículo para uma verificação do alinhamento caso ocorra algum impacto forte na roda/ suspensão (queda em buraco, batida em obstáculo etc).
Se for observado um desgaste irregular do(s) pneu(s), deve-se verificar o alinhamento das rodas.

 

MOTOR EM ROTAÇÃO BAIXA
O motor não deverá trabalhar em rotações muito baixas com a marcha alterada. Andar, por exemplo, a 40 Km/h em quarta marcha, representa uma carga muito forte para o motor. (Dirigir desta maneira vai aumentar o consumo de combustível e acelerar o desgaste do motor);

 

FREIO MOTOR
Para descer uma ladeira, procure sempre fazê-lo com uma macha forte engrenada. Desta maneira o motor auxilia na frenagem economizando os freios evitando o superaquecimento de discos e pastilhas, reduzindo também o seu desgaste.

 

DESGASTE PNEUS
Os sulcos existentes nos pneus não podem ter profundidade inferior a 1,6 milímetros. Os pneus trazem indicadores de desgaste que estão localizados em seu costado, entre os sulcos e em alto-relevo. Fique atento para quando eles se tornam visíveis, isto significa que chegou a hora de substituir o pneu. (Verifique o estado dos pneus buscando por cortes ou alterações de volume (deformações), em intervalos não superiores a 4 semanas, verifique também a pressão dos mesmos conforme o manual do veículo, pneus com pouca pressão de ar provocam aumento de consumo de combustível devido a maior resistência à rolagem).

 

LINHA ADVENTURE
Atualmente a Fiat possui uma grande linha de produtos off-road, com uma gama diversificada de instrumentos que auxiliam nesse segmento, como a bússola e o inclinômetro.
A bússola é um instrumento que indica a direção por intermédio dos leds vermelhos posicionados na escala. A escala é composta pelos pontos cardeais (N) Norte, (S) Sul, (E) Leste, (W) Oeste e sub cardeais, (NW) Noroeste, (NE) Nordeste, (SE) Sudeste, (SW) Sudoeste.
Outro instrumento é o inclinômetro que estão graduados de 10 em 10 graus. Os efeitos da aceleração dinâmica (produzidos em curvas, acelerações ou freadas) são registrados pelos instrumentos que, nessas situações, os indicam representando a variação de aceleração sobre o veículo. Com o comportamento estático do veículo (abaixo de 0,18G de aceleração) as indicações dos inclinômetros serão coerentes com a inclinação do veículo.
Em caso de marcação incorreta de inclinação nos inclinômetros, deverão ser adotados os seguintes procedimentos:
1. Posicionar o veículo em um local plano.

2. Observar as condições de uso e avarias no componente.

3. Ligar o ar condicionado resfriando pelo difusor de ar do pára-brisa durante 10 minutos.

 

MAREA TURBO: CUIDADOS NA UTILIZAÇÃO DO SISTEMA TURBOALIMENTADORA
Nunca abrir o turboalimentador, nem fazer adaptações ou alterações em sua calibração de fábrica.
Verificar os sistemas de filtragem de óleo e de ar, respeitando os períodos de troca
A entrada de poeira (partículas sólidas) no interior do compressor, devido a uma falha do sistema de fi ltragem de ar, pode danifi car seriamente, por erosão, as palhetas do rotor do compressor, o que irá provocar a deterioração do turboalimentador e prejudicar o desempenho do motor;
Uma deficiência no sistema de filtragem de óleo lubrificante tambÉm pode ocasionar a presença de grande concentração de partículas sólidas, danificando os componentes internos do sistema.
Verificar o nível de óleo;
A falta de pressão e fluxo de óleo durante o início do funcionamento do motor provoca danos aos mancais do turbo;
Não realizar as trocas de óleo nos períodos recomendados pode ocasionar a formação de borra de óleo ou oxidação do óleo do motor. Esses sedimentos, se acumulados do lado da turbina, podem ficar carbonizados, obstruindo o canal de lubrificação e causando deficiência na lubrificação do turboalimentador.
Não desligar imediatamente o veículo após o uso esportivo (manter o veículo em marcha lenta no mínimo durante 1 minuto):
Após o uso esportivo, a turbina continua a girar. Se o motor for desligado, o fluxo de óleo lubrifi cante É cortado imediatamente, podendo danificar seriamente os mancais radiais e de encosto do turbo. É importante destacar que o mesmo cuidado deve ser tomado no momento da partida do veículo. Assim, deve-se esperar que o motor atinja a temperatura de regime antes de utilizá-lo esportivamente.
Verificar a integridade das mangueiras e conexões, observando se há vazamentos;
Quando for percebido algum vazamento de óleo na carcaça da turbina, verifique sempre se existem obstruções no tubo de retorno de óleo do turboalimentador para o cárter e furos de lubrificação da árvore de manivelas.

 

PERDEU O MANUAL DO SEU CARRO?

Clique aqui para baixar a 2ª via.